OITAVÁRIO DE ORAÇÃO PELA UNIDADE DOS CRISTÃOS

De 18 – 25 de Janeiro, decorre o Oitavário de Oração pela Unidade dos Cristãos, que não deve ser esquecido nas celebrações eucarísticas. A Eucaristia é o sacramento da unidade: “Uma vez que há um único pão, nós, embora muitos, somos um só corpo, porque todos participamos desse único pão” (1Cor 10, 17).
Durante a celebração, existem muitos momentos que expressam a unidade, que começa “por casa”, na própria comunidade que celebra. Nestes dias do Oitavário, seria bom recordar esta dimensão eucarística:

  1. Os cânticos, que pelo facto de se cantarem em conjunto, unem. Para estes dias, poder-se-ia escolher cânticos que façam referência à comunidade eclesial ou à caridade fraterna;
  2. O acto penitencial recorda-nos algo que nos une: todos somos frágeis e pecadores. Nestes dias, podemos pedir perdão pelas nossas faltas de unidade e de compreensão para com o próximo; e também por alguma indiferença à construção da paz e à compreensão em todos os níveis;
  3. As orações (eucologia) da missa: podem utilizar-se os formulários que o Missal oferece pela Unidade dos Cristãos (ver Missal Romano, pág. 1204).
  4. As leituras bíblicas serão as indicadas no Leccionário Ferial, mas a homilia poderá aproveitar algum aspecto das mesmas para “adaptar” a intenção eclesial da unidade.
  5. Na oração dos fiéis, recordamos, nestes dias, as intenções ecuménicas da Igreja, nomeando sucessivamente, por exemplo, as diversas confissões cristãs.
  6. Na Oração Eucarística, pedimos sempre a Deus (na segunda epiclese ou invocação do Espírito Santo, depois da Consagração), que esta Eucaristia nos ajude à comunhão eclesial: “sejamos reunidos, pelo Espírito Santo, num só corpo”, “sejamos em Cristo um só corpo e um só espírito”, “que reunidos pelo Espírito Santo num só corpo, sejamos em Cristo uma oferenda viva”. São frases das diversas Orações Eucarísticas que poderemos utilizar neste Oitavário, destacando-as, quando forem proclamadas (seria bom fazer uma pequena pausa antes ou depois). No “Memento dos vivos”, seria bom recordar os “nossos irmãos cristãos que crêem em Jesus”, pedindo que o Espírito Santo nos ajude a construir a unidade em Cristo.
  7. A oração da paz prepara o gesto de fraternidade que é, de seguida, realizado, preparando, de maneira próxima, a comunhão. Antes de comungar com Cristo, comungamos com o irmão. Nestes dias, poderemos acentuar esta frase: “e dai-lhe a união e a paz, segundo a vossa vontade”.
  8. O gesto da paz terá que ser bem expressivo. O trabalho do ecumenismo não deve ser só a nível de confissões cristãs, mas também na própria comunidade paroquial. Como realidade e como símbolo da nossa atitude de unidade.